Taxa de mortalidade infantil desce

O relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS) “Natalidade, Mortalidade Infantil, Fetal e Perinatal, 2010-2014″ revela que a taxa de mortalidade infantil desceu, pelo segundo ano consecutivo.

DGS 2015 Natalidade, Mortalidade Infantil, Fetal e Perinatal, 2010-2014

De acordo com os dados do relatório, a taxa de mortalidade infantil desceu para 2,8 óbitos de crianças com idade inferior a um ano por mil nados-vivos, em 2014, o que representa uma descida de 5% em relação a 2013, resultante da observação de uma poupança de 12 crianças com menos de 1 ano de idade.

A mortalidade infantil em Portugal situa-se abaixo dos níveis médios europeus e ocupa, hoje, lugar cimeiro a nível mundial.

DGS: Natalidade, Mortalidade Infantil, Fetal e Perinatal, 2010-2014

Um dia com o Diagnóstico Precoce

O Departamento de Genética Humana do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge organiza dia 14 de outubro no Centro de Saúde Pública Gonçalves Ferreira, no Porto, mais uma edição do curso “Um dia com o diagnóstico precoce”. A ação formativa destina-se a todos os profissionais que intervêm no diagnóstico de doenças incluídas no Programa Nacional de Diagnóstico Precoce (PNDP).

Diagnóstico precoce

A iniciativa tem como objetivos informar os participantes sobre a organização do PNDP e discutir os problemas relacionados com a colheita de sangue, com a conservação e envio das fichas. Informar sobre as patologias atualmente rastreadas, os critérios de seleção utilizados e o modo pelo qual deve ser dado conhecimento aos pais sobre os resultados do rastreio são outros dos objetivos deste curso que já vai na sua 12ª edição.

O PNDP realiza, desde 1979, testes de rastreio, em todos os recém-nascidos, de algumas doenças graves, o chamado “teste do pezinho”. Estes testes permitem identificar as crianças que sofrem de doenças, quase sempre genéticas, como a fenilcetonúria ou o hipotiroidismo congénito, que podem beneficiar de tratamento precoce.

Os interessados em frequentar este curso devem efetuar a sua inscrição até ao dia 7 de outubro, na plataforma de formação do INSA.

Fonte: INSA

APSI lança campanha de prevenção dos atropelamentos

Aproveitando o início de mais um ano letivo, a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) lançou esta semana uma campanha nacional de sensibilização para a prevenção dos atropelamentos de crianças e jovens, dirigida aos condutores.

APSI Campanha de Prevenção dos Atropelamentos

Todas as semanas mais de 20 crianças e jovens morrem ou ficam feridos na sequência de um atropelamento, o que representa 32% da totalidade dos acidentes em ambiente rodoviário, nestas faixas etárias. A maioria destes atropelamentos acontece entre os 10 e os 14 anos (Dados ANSR, Análise APSI, 2015), em zonas residenciais e durante os percursos casa-escola.

A campanha pretende sensibilizar todas as pessoas que conduzem para a especial vulnerabilidade das crianças enquanto peões e para a necessidade de alterarem os comportamentos que aumentam o risco de atropelamento nestas idades – como a velocidade excessiva, o estacionamento em cima de passadeiras ou passeios e a paragem em 2ª fila.

APSI: Campanha de Prevenção dos Atropelamentos