Quais as queixas relacionadas com a erupção dos dentes?

Os sintomas mais comuns que podem estar relacionados com a erupção dos dentes são gengivas avermelhadas, aumento da salivação, perda de apetite e alteração dos hábitos nutricionais, ansiedade, dificuldade em dormir. O desconforto da criança pode ser aliviado limpando a boca 2 a 3 vezes por dia com uma gaze molhada ou recorrendo a mordedores e geles disponíveis no mercado.

Fotografia de Dean Wissing / Flickr

Fonte: Ordem dos Médicos Dentistas

Relatório do Programa Nacional de Diagnóstico Precoce

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP (INSA) divulgou o relatório do Programa Nacional de Diagnóstico Precoce (PNDP) referente ao ano de 2014. O PNDP, conhecido também por “teste do pezinho”, existe desde 1979 e tem como objetivo primário o rastreio neonatal de doenças cujo tratamento precoce permita evitar, nas crianças rastreadas, atraso mental, situações de coma e alterações neurológicas ou metabólicas graves e definitivas.

Diagnóstico precoce

Das principais atividades relacionadas com o desenvolvimento do Programa em 2014, destaca-se o seguinte:

  • São atualmente rastreados em Portugal o Hipotiroidismo Congénito e 24 Doenças Hereditárias do Metabolismo, com uma taxa de cobertura próxima dos 100%;
  • Foram detetados 83 casos de doença, mantendo-se a média da idade de início de tratamento nos 10 dias de vida;
  • Foi concluído o Estudo Piloto para o Rastreio Neonatal da Fibrose Quística em 80.000 recém-nascidos.

Fonte: Portal da Saúde
PNDP: Relatório 2014

Em que idade aparecem os primeiros dentes?

Em média, a erupção da primeira dentição tem início entre os 6 e os 8 meses de idade, sendo as meninas geralmente mais precoces. Entre os 2 anos e meio e os 3 anos de idade os 20 dentes temporários já estarão presentes na cavidade oral.

Fotografia de James Jordan / Flickr

Fotografia de James Jordan / Flickr

A dentição permanente ou definitiva inicia-se entre os 5 e os 7 anos e poderá constituir-se de 32 dentes, caso erupcionem os terceiros molares (sisos), o que nem sempre ocorre. A erupção mais precoce ou tardia não está necessariamente relacionada com patologia; no entanto, caso a criança não apresente qualquer dente após completar 1 ano de vida, deverá ser observada na consulta de Medicina Dentária.

Fonte: Ordem dos Médicos Dentistas